segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Vamos fazer diferente

Última semana de novembro, quase dezembro, chegando o veraneio, quase findando o ano.

Novamente correria de compras, uma nova roupa íntima, velhas promessas quebradas, agora renovadas,  que são reprometidas outra vez.

Papai Noel de saco cheio, Jesus de olhos e ouvidos fechados, continua pregado na cruz.

Ciclos encerram-se outros iniciam, uns partiram pra nunca mais, mas daqui a pouco tão ai, ou nem ai.

Outros chegam, tiram-nos pra dançar, erguem-nos no ar e nos fazem flutuar, e a eterna dança da vida segue o baile ao som do vento, no clima do momento, em cada estação.

O importante é ser feliz agora, agora, agora, de novo, aqui e acolá, pois na mecânica da sincronicidade da vida não existe pausas, sendo o tempo efêmero e implacável, e o que se deixa de experimentar hoje, talvez não vista bem amanhã, vire démodé, fique apertado, curto, brega, não sei o quê.

Quem vai atirar a primeira pedra? Quem discará os números do perdão, do vamos recomeçar, do já não dá mais pra esperar?

Ontem teve chuva, hoje faz sol, a noite alguém liga o farol avisando que está a procurar, a esperar, pode acreditar.

Hoje é segunda, amanhã é terça, e dai?

É dai que é você tem que mandar flores, lembrar do carinho matinal, daquela coisa carnal, do instinto animal ou simplesmente do bom dia, pois se é dando que se recebe, é recebendo que nos motivamos a doar, compartilhar, enrubescer assoviar, cantar, polinizar o mundo agora com o bem querer.

Que seu consciente grite, seu inconsciente reaja, e nossas energias espalhem-se pelo ar.

Tenhamos belas manhãs, ótimas semanas e um longo mês antes que tudo acabe e comece tudo outra vez.

Namastê.

AdilsonDi.com
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e identifique-se