segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Invenção do Tempo

Qual foi a verdadeira intenção dos antigos para criação do calendário? Será que em tempos pagãos as culturas preocupavam-se com o tempo? Sei lá, acho que não, pois numa rápida pesquisa pude constatar que nosso calendário atual, chamado gregoriano, surgiu somente em 1582 D.C.; o anterior a ele, chamado juliano, em 45 A.C.; anteriormente a eles o romano que data de 753 A.C., onde um ano era composto por somente 304 dias, divididos em 10 meses; e antes destes, havia uma bagunça generalizada, onde registros mais antigos levam aos sumérios na Mesopotâmia em 2700 A.C.

Agora entendo porque a Bíblia diz que Matusalém viveu quase 190 anos e, seu filho Lameque, passou dos 999 anos, ou seja, o tempo era contato de forma diferente, pois com certeza, dentro da qualidade de vida que tinham em tempos remotos, jamais teriam passado de 40 ou 50 anos.

Más enfim, pra que será que os benditos padres invetaram esta contagem para dizer que estamos ficando velhos ou que chegou “tal data para comemorarmos e CONSUMIRMOS“.  Sim, o consumo que eleva reis e humilha os pobres, sempre foi a mola propulsora da evolução humana. Praticamente incapazes de prover seu sustento de forma silvícola, o ser humano acabou partindo para a caça (morte, violência, agressão ao meio ambiente...) afim de alimentar-se. Outros partiram para agricultura monocultural, afim de produzir alimentos para suprir suas famílias, clãs, tribos, e assim começaram a medir volumes de colheitas, o tempo de produção e comercialização.

Mesmo com a evolução agrária, os antigos atribuíam ao transcendental o que produziam, então, porque ao longo dos tempos, foi-se esquecendo que o alimento é fruto de uma dádiva divina, e começou-se a achar que o mesmo é fruto do dinheiro de nossos pais e de nosso trabalho?

Enfim, em tempos de modernidade, onde a automação inevitavelmente irá exterminar com a grande maioria dos empregos no planeta dentro de no máximo 20 anos, isso mesmo, daqui há duas décadas, a AI - inteligência artificial e os androides (robôs) irão fazer quase todas atividades humanas de forma infinitamente mais barata. O que será de nós e de nossos descendentes?

Gostaria eu de viver num mundo sem tempo, com tempos melhores. Trocadilhos a parte, precisamos rever nosso tempo, nossos hábitos, nossas crenças, afim de encontrarmos o bem comum, pois os tempos que se avizinham não parecem mada bons, portanto, neste fim de tempo (ano), façamos uma reflexão de nossos atos frente aos outros, ao ambiente e até a nós mesmos. Será que estou fazendo a coisa certa pra mim e pras próximas gerações?

Pense, reflita e aja. Você é uma sementinha de Deus pra fazer florir novos horizontes, mas pra gerar frutos divinos, é preciso começar por algum lugar, então, comece com alguém ao seu lado, bem próximo. Eu comecei por você.

Boa semana - Namastê - AdilsonDi.com
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e identifique-se