segunda-feira, 4 de julho de 2016

NEM UM LADO, NEM OUTRO, SÓ A VERDADE

"O dinheiro pode nos dar conforto e segurança, mas ele não compra uma vida feliz. O dinheiro compra a cama, mas não o descanso. Compra bajuladores, mas não amigos. Compra presentes para uma mulher, mas não o seu amor. Compra o bilhete da festa, mas não a alegria. Paga a mensalidade da escola, mas não produz a arte de pensar. Você precisa conquistar aquilo que o dinheiro não compra. Caso contrário, será um miserável, ainda que seja um milionário - Augusto Cury". Luiza Brunet, mulher linda, famosa, que chegou ato topo da piramide, casando-se com um dos homens mais ricos do mundo, publicou esta frase após o vergonhoso termino de seu relacionamento com o milionário Lírio Parisotto. Como em briga de marido e mulher não se mete a colher, não defenderei nem um lado, muito menos o outro. Apenas fico triste, pois tenho visto todos os dias dezenas de publicações como esta, principalmente por aquelas pessoas que confundem valores com preço. Num mundo em constante evolução, onde as pessoas tem estudado tanto as coisas existenciais, orientando-se por filosofias transcendentais, praticando mantras, técnicas de meditação e pedindo iluminação afim de atingir seu nirvana (estado de libertação atingido pelo ser humano ao percorrer sua busca espiritual), como é que elas ainda pensam tanto em si mesmas, recebendo mais que doando, pedindo mais que compartilhando, enfim, ainda é necessário muitos sansaras (ciclos de renascimento e mortes) até que a pessoa enfim entenda que é "...dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado..." Se você encontrou o amor, tem que cuidar dele, torná-lo pleno, sublime, superior a qualquer outra questão existencial. O amor deve prevalecer sob qualquer aspecto, principalmente fazer com que o amor seja liberto, feliz, harmônico, cúmplice, desapegado, fiel, verdadeiro, ou seja, incondicional. Ame todos os dias; conviva mais com as diferenças; reconheça seus erros e suas falhas humanas; peça perdão sempre que possível; agradeça a todos que lhe fizerem a menor gentileza, mesmo que seja desviar de você na rua; seja gentil e cortês com todos; esteja feliz e tranquilo em todos lugares, sejam eles simples ou sofisticados; caminhe por entre as pessoas sem julgá-las; curta o músico na rua, o artista na sinaleira, até a música que não é de sua preferência, pois ela pode ter uma mensagem pra você; ria com amigos, sozinho, de si mesmo; brinque com a caneta, com a bolinha de papel, com o ato falho que aconteceu; priorize a harmonia e viva a plenitude de seu ser. Queira menos, tenha menos, possa menos. Defenda mais obrigações do que direitos, defenda a natureza, os bichos, a água, o ar, a vida. Vamos fazer de nossa vida um exemplo para a vida dos outros, quem sabe a soma de nossos exemplos trará um mundo muito melhor para todos nós. Vá que, se nosso mundo for melhor, finalmente não venhamos a conhecer outros tão bons quanto o nosso. Namastê
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e identifique-se