segunda-feira, 11 de julho de 2016

NAMASTÊ

Dezenas de pessoas tem dito que sonharam comigo. Algumas de meu convívio, outras que nunca mais tive contato e algumas nem mesmo me conhecem. Meu ser agradece profundamente por me trazerem seus relatos. Cada um é recebido com muito carinho e interpretado da melhor maneira possível.

Alguns me questionam sobre minha fé. Digo-lhes que desde menino sigo a doutrina cristã, tendo minha base na igreja católica, mas com muitas influencias externas, tais como budismo, kardecismo e outras doutrinas de paz e amor, montando talvez, uma crença só minha, da existência de um ser superior a toda compreensão humana, um Deus universal, um Deus que está em tudo e em todos.

Conseguimos desmembrar o núcleo de um átomo e várias partes, nosso corpo é um universo de zilhões de átomos, então como posso achar que sou o centro do mundo. Ainda, se meu planeta faz parte do sistema solar, que é uma galáxia gigantesca formada por milhões de outros corpos celestes, e que existem zilhões de outras galáxias, como é que vou achar que existe um Deus tão mesquinho que só cuide dos humanos? Acredito sim que "Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia - William Shakespeare".

Você crente talvez diga que a Bíblia é a única verdade, o cientista talvez diga que a revista científica é a unica verdade, ou talvez o ateu diga que não exista nenhuma, mas eu acredito sim na existência de uma energia vital que une todo o cosmo. Como vou limitar-me a uma Bíblia que só tem foco no humano, se acredito que os animais não são só meros víveres para alimentação humana, mas que eles tem alma como a gente, pois choram, ficam felizes, amam. Como acreditar num livro que só cita os vegetais como ponto de referência, se as árvores procriam, respiram, choram. Como acreditar num livro que não chama a poluição do planeta de pecado? Enfim, nestes dois mil anos desde a última transcrição da Bíblia, já vieram tantos novos profetas, que ta na hora de acrescentarmos novas verdades a nossas vidas limitadas, ainda mais nestes tempos de tantos falsos profetas.

Amigos, se até bem pouco tempo atrás não acreditavam na comunicação por telefone e a bem menos tempo não acreditavam que poderíamos mandar coisas instantâneas pela internet, como é que vamos ser descrentes que exista uma comunicação extrassensorial com outros mundos, outras formas de vida, outros conceitos e coisas imateriais?

Enquanto tento evoluir na minha vã filosofia, agradeço em forma de oração, mantras, rezas, mentalizações, vibrações positivas a todos que conectam-se comigo seja no mundo real, virtual ou espiritual.

Que o meu Deus esteja unido eternamente com vosso Deus.

Namastê


quinta-feira, 7 de julho de 2016

NÃO ATOCHA

Seja transitivo ou bitransitivo, as pessoas estão polemizando sob a tal passagem da tocha olímpica pelas ruas do Brasil. Mas como sou mais intransitivo, também acho piada que tal evento aconteça neste país tupiniquim. Não só por não termos a capacidade estrutural, mas também por não termos a mínima envergadura moral para receber o evento mais importante da história da humanidade. Será que os habitantes da terra brasilis sabem da importância do evento para a quebra de conceitos e preconceitos? Será que sabem o que significa o evento para os atletas que preparam-se uma vida inteira para chegar ao ápice de suas carreiras? Será que sabem a importância do contexto histórico das olimpíadas? Será que sabem o que significa para a moral de um país? Não! Não estão avaliando o evento em si, mas analisando pela óptica demagógica da politica podre implantada neste paiséco antes mesmo de seu descobrimento. Em 1936 o atleta negro americano, Jesse Owens, literalmente esfregou as medalhas conquistadas nas provas mais importantes das olimpíadas, na cara do próprio Adolf Hitler e de toda sociedade racista do mundo. Neste mesmo ano foi criado este revezamento da tocha olímpica que percorre as ruas do país, o qual significa a união dos povos, igualdade da humanidade, a superação dos limites, provando que ninguém é melhor que ninguém, que podemos vencer num dia e poder no outro, mas nunca desistir de nossos sonhos e desejos.
Como não lembrar do esforço de Gabriele Andersen que chegou quase se arratando a linha de chegada em 1984, como não emocionar-se com a lágrima do ursinho Misha que em 1980 quase previu o fim da utopia socialista e a queda do regime autoritário da extinta União Soviética. Como não lembrar de Cassius Marcellus Clay Jr. (Muhammad Ali), João do Pulo, e da maravilhosa Nadia Comăneci, que superou o todas as barreiras sexuais, sociais e existenciais que fora subjugada durante sua vida. É meus amigos, a tocha significa é muito mais que um símbolo qualquer, ela significa a auto estima de povos ultrajados, tais como Cuba, Gana, Sri Lanka, Uganda, Bangladesh, que de certa forma conseguem superar suas pobrezas extremas e vem lutar contra as grandes potências conquistadoras como Inglaterra, Alemanha, EUA, etc.
A própria criação da Chama Crioula Gaúcha em 1937 foi inspirada na tocha olímpica, pois ela tem o intuito de unificar o povo em volta de um propósito, que no caso era de fortificar a cultura do Rio Grande do Sul que enfrentava o grande desafio de contrapor o fim dos regionalismos do estado novo de Getúlio Vargas. História esta que inclusive apresentei as secretarias da cultura e turismo do estado, o qual, por tal sugestão, conseguiram incluir que os tradicionalistas do MTG sejam condutores da tocha no dia de hoje em Porto Alegre. Sugeri mais. Sugeri que o próprio Paixão Cortes tirasse uma centelha da chama e mescla-se com o fogo Simbólico da Pátria e nossa Chama Crioula. Sei que não vou entrar pra história por ter sugerido a inclusão do tradicionalismo no revesamento, mas tenho certeza absoluta que o símbolo olímpico da vitória sob as adversidades irá vencer mais uma vez os conceitos e preconceitos, e nunca mais entraremos em períodos nebulosos como foram as grandes guerras mundiais, e muitos Jesse Owens esfregarão suas medalhas na cara de malditos tiranos. Que o Brasil definitivamente lave suas calçadas sujas e sangrentas, avançando para uma cultura de paz, amor e desenvolvimento sustentável. Viva o espírito olímpico e que vençam os melhores.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

NEM UM LADO, NEM OUTRO, SÓ A VERDADE

"O dinheiro pode nos dar conforto e segurança, mas ele não compra uma vida feliz. O dinheiro compra a cama, mas não o descanso. Compra bajuladores, mas não amigos. Compra presentes para uma mulher, mas não o seu amor. Compra o bilhete da festa, mas não a alegria. Paga a mensalidade da escola, mas não produz a arte de pensar. Você precisa conquistar aquilo que o dinheiro não compra. Caso contrário, será um miserável, ainda que seja um milionário - Augusto Cury". Luiza Brunet, mulher linda, famosa, que chegou ato topo da piramide, casando-se com um dos homens mais ricos do mundo, publicou esta frase após o vergonhoso termino de seu relacionamento com o milionário Lírio Parisotto. Como em briga de marido e mulher não se mete a colher, não defenderei nem um lado, muito menos o outro. Apenas fico triste, pois tenho visto todos os dias dezenas de publicações como esta, principalmente por aquelas pessoas que confundem valores com preço. Num mundo em constante evolução, onde as pessoas tem estudado tanto as coisas existenciais, orientando-se por filosofias transcendentais, praticando mantras, técnicas de meditação e pedindo iluminação afim de atingir seu nirvana (estado de libertação atingido pelo ser humano ao percorrer sua busca espiritual), como é que elas ainda pensam tanto em si mesmas, recebendo mais que doando, pedindo mais que compartilhando, enfim, ainda é necessário muitos sansaras (ciclos de renascimento e mortes) até que a pessoa enfim entenda que é "...dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado..." Se você encontrou o amor, tem que cuidar dele, torná-lo pleno, sublime, superior a qualquer outra questão existencial. O amor deve prevalecer sob qualquer aspecto, principalmente fazer com que o amor seja liberto, feliz, harmônico, cúmplice, desapegado, fiel, verdadeiro, ou seja, incondicional. Ame todos os dias; conviva mais com as diferenças; reconheça seus erros e suas falhas humanas; peça perdão sempre que possível; agradeça a todos que lhe fizerem a menor gentileza, mesmo que seja desviar de você na rua; seja gentil e cortês com todos; esteja feliz e tranquilo em todos lugares, sejam eles simples ou sofisticados; caminhe por entre as pessoas sem julgá-las; curta o músico na rua, o artista na sinaleira, até a música que não é de sua preferência, pois ela pode ter uma mensagem pra você; ria com amigos, sozinho, de si mesmo; brinque com a caneta, com a bolinha de papel, com o ato falho que aconteceu; priorize a harmonia e viva a plenitude de seu ser. Queira menos, tenha menos, possa menos. Defenda mais obrigações do que direitos, defenda a natureza, os bichos, a água, o ar, a vida. Vamos fazer de nossa vida um exemplo para a vida dos outros, quem sabe a soma de nossos exemplos trará um mundo muito melhor para todos nós. Vá que, se nosso mundo for melhor, finalmente não venhamos a conhecer outros tão bons quanto o nosso. Namastê