quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Confissão aos Navegantes

foto tremida que tirei junto a imagem de N.S.Navegantes
Tem dias que parece que tudo vai acabar, e que não vamos conseguir nem sequer subir um degrau de escada, e mesmo parecendo que o universo esta contra você, acontecem coisas que te arrebatam para cima e mostram que nada é em vão, e que a fé, tradição, legado e a honra herdada de seus antepassados, sempre estarão junto a ti, através de dos dogmas ensinados de geração a geração.

Hoje tinha duas consultas médicas, uma com o reumatologista, para ver o motivo de certas dores que tenho sentido (vocês vão dizer que é velhice, e eu vou confirmo, hehe) e a outra para um exame mais aprofundando e uma possível extração de carnes esponjosas. Pois é, o dia não estava nada agradável, pois sofrer de mais de uma moléstia, não é nada fácil, ainda mais com o calor que esta fazendo hoje em Porto Alegre.

Almocei e no caminho para a primeira consulta, passei na frente da Igreja do Rosário, e avistei que a imagem de Nossa Senhora dos Navegantes encontrava-se ali. Tomado de emoção, pela lembrança da devoção de minha mãe, avó e outras tantas pessoas, entrei e fui orar um pouco.

Fui a consulta e encontrei uma médica gentil e qualificada o qual solicitou uma bateria de exames e solicitou meu retorno posterior. No retorno ao escritório resolvi voltar a Igreja, pois algo me chamava para aquele lugar. Desta vez ao entrar sentei-me confortavelmente perto da imagem onde fiz uma alto regressão em todas gerações que se sucederam antes de mim, e que adoraram aquela imagem estática. Na viagem de minha mente vieram todas as bençãos e milagres que aconteceram com todos, principalmente os de minha mãe. Fui tomado de emoção e numa linguagem diferente, minha mente conversou com as forças extra corpóreas do meu ser. Após meu encontro com o passado ia me retirando da igreja, quando avistei um padre de branco, conversando com uma moça emocionada, e vi que ao redor daquela porta encontravam-se outras pessoas no aguardo. Sai da igreja em direção ao trabalho, quando meu ser resolveu voltar e perguntar se estavam aguardando para se confessarem. Com a confirmação, resolvi ficar e cumprir com o rito dogmático da confissão.

Esperei por algum tempo sem saber o que eu ia fazer, nem o que eu estava fazendo ali, pois mesmo sendo católico, nunca cumpri este rito como ele deve ser. Lembro que na primeira comunhão, crisma e unção dos enfermos, sim, unção dada a quem tá com o pé na cova, o qual recebi na época do meu acidente de moto, onde fizemos uma confissão silenciosa e coletiva.

Desta vez era diferente, pois estava aquele cara de roupão branco conversando com pessoas estranhas e sabendo de seus segredos mais íntimos. Ao final de cada visita, o sujeito postava sua mão sob as cabeças de seus visitantes, e as pessoas transfiguravam de suas faces tristes em fisionomias suaves e alegres. Chegou a minha vez, entrei trêmulo sem nem mesmo saber o que falar, a pessoa que me recebeu foi cortês e pediu que eu entrasse e me sentisse a vontade. Nossa, que sufoco, pois eu tava ali na frente do Padre enfrentando toda uma sociedade moderna que condena esta prática. Comecei a falar da minha longa ausência frente aos guias espirituais de minha religião, e que ao longo de minha vida fiz muitas coisas boas e ruins. Achei que teria de dizer que matei passarinho, que atirei pedra no gato, que odiei a pessoa que me machucou, emfim, o pavor do enfrentamento era extremo. Quando vi já havia feito um resumo de minha vida em pouquíssimas palavras, e a pessoa na minha frente, sorriu e perguntou meu estado civil, se tinha filhos, ou se tinha ao menos um relacionamento fixo. Contei minha realidade e a pessoa com muita tranquilidade me aconselhou como um pai aconselha um filho. Nossa! Um analista gratuito e muito sapiente, sem as paranoias convencionais dos profissionais da saúde mental. O cara me ouviu, me aconselhou e ao final, com o poder transferido por seus antepassados cristãos, abençoou-me e perdoou-me de meus pecados mundanos. Nossa, senti minha face transfigurar-se como das pessoas que me antecederam naquele lugar. Eu sai extasiado de alegria e precisava agradecer de alguma forma a sensação maravilhosa de leveza que eu estava sentindo, por ter estado naquele lugar, com aquela imagem, aquelas pessoas. Comprei uma vela e ofereci em meu nome e de meus irmãos, e de todos nossos antepassados.

Aconselho todos a abdicarem de seus falsos pudores, preconceitos, e falsas morais, e visitarem o santuário com a imagem. Ao chegarem lá, abram seus corações para o perdão aos erros alheios cometidos contra você, e também aos seus próprios erros, e peça iluminação aos seus caminhos, pois com certeza serão perdoados e terão muitas bençãos em sua vida.

Obrigado Nossa Senhora dos Navegantes, quarta-feira farei o possível para estar presente ao périplo de seus devotos ao longo dos anos.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O Paradoxo do Nosso Tempo - autor George Carlin

George Carlin
Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores. Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.

Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.

Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.

Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas".

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.

Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.

Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre. Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado.

George Carlin

sábado, 22 de janeiro de 2011

Casamento entre Mitologia e Biblia

Pandora foi a primeira mulher na terra segundo a mitologia grega, e por este motivo se achava a bam bam bam, e devia ser, era a única mesmo. Ela era filha de deuses poderosos e recebia inumeros presentes deles, porem como eram tantos, seus pais intocáveis guardavam tudo numa caixinha como enxoval, e avisaram que ela só poderia abrir a caixa quando ela casa-se com um HUMANO, onde ela encontraria toda felicidade do mundo.

Pandora conhecia diversos deusinhos do orimpo, inclusive casou-se com um perfeito deus grego, porem sua felicidade foi efêmera, pois tentaram ter filhos, e quando os mesmos nasceram foram tirados pelos deuses superiores. Adão (primeiro homem na terra segundo a Bíblia) era o único humano que existia e estava lá noutro canto da terra, em seu paraíso, vivendo sua vidinha entre seus bichinhos, plantinhas e amigos, quando a tal Pandora ganhou um presente que podia comunicar-se a distância com qualquer pessoa no planeta, e na sua procura acabou encontrando o pobre Adão. Depois de algumas conversas, Padora apaixonou-se pelo Adão, que era LLS - Livre, Leve e Solto, também SPO - Simples, prático e objetivo, e literalmente um pelado.

O cara não sabia e nem queria saber dos presentes que a Pandora tinha recebido de seus antepassados intocáveis. A afoita da Pandora queria porque queria abrir a caixa, e quando conheceu e apaixonou-se pelo Adão, achou a grande oportunidade de tirar todos presentes da caixa e compartilhar com Adão.

Adão só queria saber de cumprir sua missão de perpetuar a espécie, e ele não tava nem ai pra caixa, pois ele conheceu ela por ligações divinas, e não pelos presentes que ela tinha recebido, e ela não entendia isso, e insistia querer compartilhar os bens e poderes da caixa.

Mesmo avisada que não poderia abrir a caixa antes do casamento, ela teimosamente abriu e saiu tudo que tava guardado ali, como íra, intriga, maldade, ciúmes, arrogância, luxúria, prepotência, injúria, difamação, calúnia, etc. e tudo foi jogado injustamente sob Adão.

A única coisa que ficou na caixa foi o que realmente importava para Adão, que era a esperança dela tornar-se humana de verdade.

Versão: By, Adilson Di

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

desrespeito no trânsito

foto que tirei na Alberto Bins quase Pinto Bandeira
Ontem ( 20/01/2011 - 13:00 horas) fui almoçar no restaurante rotineiro no centro de Porto Alegre. Por acaso estava com o joelho ruim, com dificuldade de caminhar, e ao chegar na faixa de segurança, tive dificuldade de atravessar com o trânsito intenso, para piorar, ao chegar do outro lado da faixa, deparei-me com um carro estacionado bem ali. Contornei e gentilmente fui comunicar a motorista do veículo de placa IJY 8028, que estava num lugar inadequado, Para minha surpresa ela veemetemente justificou sua imprudência, dizendo que não estava atrapalhando nada ali, e que estava esperando uma vaga noutro lugar, e que eu não tinha nada a ver com isso. Nossa! A ira tomou conta de mim e tudo que queria ser naquele momento era um agente de trânsito para aplicar-lhe uma boa multa pelo crime que estava cometendo. Espero que apareçam agentes para coibir este tipo de coisa e não ficar multando quem ta com celular ou outras idiotíces por ai

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Campanha de um banco numa cidade do Brasil

Outdoors:

"Crie filhos em vez de herdeiros."

"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."

"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."

"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."

"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."

"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"

"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."

"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."

"...e quem sabe assim você seja promovido a melhor (amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"

"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."

E para terminar:

"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço."