terça-feira, 11 de setembro de 2007

Quanta honra, hoje fui professor!

Hoje tive a grande honra de ser professor de crianças de 4 a 7 anos de idade, e provavelmente, o que senti nos olhares daquelas dezenas de crianças, foi a mesma gratidão que as grandes batalhadoras da educação (professoras) tem ao lecionar para seus pupilos.

O Piquete Quatro Costados, é um piquete originado na amizade de quatro policiais civis amantes da cultura gaúcha, que há muitos anos acampam junto ao Parque da Harmonia, mesmo antes dele mudar o nome para Parque Maurício Sirostsky Sobrinho, e hoje, suas famílias e a de outros amigos compõem um lindo coletivo que comunga dos mesmos momentos de alegria e descontração.

Há poucos anos a prefeitura instituiu aos piquetes, que deveriam desenvolver um projeto cultural ou social, para poder instalar-se junto ao parque, e hoje foi o grande dia do Quatro Costados, e por minha sugestão eles apresentaram como projeto, comidas típicas e o chimarrão, para uma instituição de caridade, e a escolhida felizmente foi a Escola da Vida.

Por volta das treze horas, chegaram ao piquete quase 40 crianças, que fizeram a maior festa correndo para todos os lados, e em todos os momentos vinham roubar-me informações a respeito das coisas do tradicionalismo, e outras em geral, ao qual eu respondia sem relutar. Senti-me extremamente lisonjeado em ser escolhido como a pessoa que iria palestrar para aqueles inocentes, de olhos brilhantes e mentes sedentas de conhecimento.

Elas chegaram e aos poucos tomaram conta de tudo, servimos bebidas para refresca-las devido ao dia quente, e posteriormente servimos um delicioso arroz de carreteiro preparado pelo patrão Ricardo. Logo acomodamos elas nos bancos em frente ao piquete e começamos nossa palestra aqueles anjos que em um minuto sequer pararam de prestar atenção.

Como o objetivo era falar sobre culinária e chimarrão, precisamos contar como surgiu o gaúcho, contando que aqui viviam os índios livres, depois vieram os conquistadores brancos, e logo trouxeram nas correntes dos porões das caravelas os negros, estes que ao longo do tempo foram se espalhando e aumentando suas expectativas frente a adversidade, buscando constantemente a liberdade, que culminou numa longa guerra, que fora denominada Revolução Farroupilha, que originou o movimento tradicionalista mais tarde.

Contamos tudo para eles, e aquela aula fora para mim, mais incrível que outras que ministrei em universidades, escolas secundárias e instituições por ai, pois não acreditava que crianças poderiam ser mais atenciosas que a maioria dos adultos que já palestrei.

A cada palavra uma nova surpresa, a cada olho brilhante um novo mundo, a cada comentário, um novo motivo para continuar a lutar pelas causas sociais, a cada instante uma explosão de alegria que incendiava cada vez mais meu ser.

Obrigado patronagem do Piquete Quatro Costados, professores e dirigentes do Movimento Escola da Vida, que me proporcionaram um dia de extrema felicidade, e que quero repetir muitas vezes nos dias de minha existência.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e identifique-se