quarta-feira, 16 de novembro de 2005

Carta ao Paulo Santana


Prezado Paulo Santana,

A ortografia não é minha amiga, peço-lhe antecipadamente desculpas por qualquer erro contido em minhas escritas.

Assisti seu comentário no Jornal do Almoço, da RBS TV, hoje 16/11/2005, e concordo em gênero, número e grau com você.

Gostaria de acrescentar que, um cidadão para tirar sua carteira de habilitação para carros, é exigido dele muitas horas de treinamento em auto-escolas e testes nas ruas da cidade, como balizas, paradas em lombas, estacionamentos perto da sinalização, curvas e todas as situações que o motorista irá encontrar no seu dia-a-dia, e tudo isso acompanhado de perto por um agente credenciado no DETRAN que irá aprovar ou não a permissão de certificação.

A habilitação para motos é muito diferente, pois o cidadão faz somente o teste psicotécnico, visão e legislação, como na habilitação para carros, e depois se dirige a um circuito em forma de oito e faz três voltinhas somente, ou seja, ele não vai ser avaliado no trânsito, onde ele vai enfrentar todas as dificuldades.

Em minhas viagens ao interior do estado, vejo inúmeras bobagens cometidas pelos jovens. Todos sem exceção, fazem ultrapassagens pela direita, dirigem com apenas uma das rodas, conduzem passageiros nas ditas moto-taxi, e geralmente fazem rachas nas ruas.

Hoje tenho 36 anos e carrego em meu corpo, muitas chagas devido aos acidentes de moto quando era jovem, e lembro-me como se fosse hoje, que meu maior sonho era ter um destes veículos baratos e que poderiam me dar asas, só que na verdade me deram uma maturidade com dificuldades locomotoras e mais de oito meses internado no hospital militar. Nesta época, minha rebeldia exigia que aceita-se as convenções da juventude, que para ser popular, deveria beber, fazer muita festa e de vez em quando usar drogas, coisas que não combinam em nada com motos.

Rogo-lhe que faça um apelo aos legisladores brasileiros, para mudarem a lei que concede a habilitação para motos, e exija dos pretendentes, o teste pelas ruas, e não apenas aquelas voltinhas no circuitinho de autorama, como considero aquilo.

Obrigado desde já