quinta-feira, 17 de janeiro de 2002

Terapia contra o stres



Nos dias quentes do verão Porto Alegre (Rio Grande do Sul – Brasil), a cidade torna-se um verdadeiro forno, cozinhando os pobres trabalhadores que residem nesta cidade, existe até um filme curta metragem local que descreve este tema mostrando a história de um jovem que esta com pouco dinheiro e fica passeando pela cidade enquanto ela derrete.

Para muitos trabalhadores a história pode ser diferente, pois além de curtir várias opções culturais que estão espalhadas pela cidade, existem também vários lugares aconchegantes bem arborizados como é o caso do Parque da Redenção, do Jardim Botânico, da Orla do Guaíba entre tantas outras, mas para pessoas que não gostam de ficar na cidade e planejam um passeio diferente existem centenas de opções bem pertinho da capital.

Final de semana que antecedeu o natal, reunimos alguns amigos e planejamos um passeio pelas cachoeiras entre as cidades de Taquara, Rolante, Riozinho e outras... existem muitas opções de transporte para estes lugares, inclusive ônibus de linha, mas preferimos fazer o passeio de Jipe 4x4, então convidamos alguns amigos que tem estes veículos e viajamos para passar um dos melhores sábados de minha vida.

Saímos da capital por volta das 07:00 horas da manhã e nos deslocamos até a cidade de Rolante onde existe uma linda cachoeira com mais de 70 metros de altura, onde meus amigos João Ernesto e Paulo Ricardo (Bacardi) queriam brincar de fazer rapel. Logo já estávamos na cachoeira do Chuvisqueiro como é conhecida e sem esperar os rapazes foram logo preparando o equipamento para descer a cachoeira, fizeram o convite para que eu os acompanhasse, mas não aceitei por uma questão de precaução por nunca ter feito esta brincadeira antes. Enquanto eles desciam a queda d´água eu, a Ayume e o Marcelo Ferraz ficamos brincando de tirar fotos, colher pedrinhas para dar de presente a uma menina que as coleciona e curtir a natureza, para nossa surpresa surgiu inclusive um tucano colorido que eu jamais vira em programas ecológicos na televisão.

Ficamos boa parte do dia em meio a vegetação densa e a natureza fantástica que nos cercava ao pé da cascata. Após a descida da cachoeira continuamos nosso passeio, pois o melhor ainda estava por vir. Seguimos viagem serra acima, em certa feita os veículos deixaram a estrada de chão que estávamos seguindo para entrar numa trilha de carroças que outrora dava acesso a uma madeireira e que ora esta abandonada.

Lindo! Esta palavra resume o ambiente que percorremos por muitos kilometros morro acima, além de paisagens exuberantes, podemos apreciar a biodiversidade do local onde a flora e a fauna transcendiam energias, espectros coloridos e fragrâncias deliciosas, sapos em processo de acasalamento, cobras se esgueirando para proteger-se de nós, pássaros de todas as espécies, árvores nativas, lagartos enormes e engraçados correndo à nossa frente e muitas araucárias (em processo de extinção), ainda pudemos ver uma cena incomum, num casebre pequeno em meio a mata nativa à beira do rio, avistamos a presença de uma pessoa com características de eremita ao qual também nos avistou, mas fez como se nada estivesse acontecendo, vivendo num local isolado e em perfeita harmonia com a natureza este homem nem quis saber de ter contato conosco, talvez para não ser contagiado pelo nosso cotidiano citadino. Estes foram apenas alguns dos atrativos visuais do local.

Nossa aventura não se limitava somente a paisagem, pois a trilha não era usada há muito tempo e somente com veículos especiais poderíamos ter acesso ao local, outro detalhe e que precisa-se de alguém que conheça a trilha, mapa e bússola ou equipamento próprio de rastreamento por satélite (GPS) que foi o nosso caso. As camionetes 4x4 são veículos extraordinários, passaram por imensas crateras, por dentro de riachos, por cima de árvores caídas, coisas que veículos comuns jamais poderiam transpor.

Foram horas incríveis de profunda reflexão de como somos pequenos perto das maravilhas de Deus. Picos altíssimos, penhascos à beira da estrada, a força das águas, tudo em perfeita harmonia. Nós, meros mortais, estávamos em êxtase, pois as paisagens eram mesmo estupendas. No final do passeio paramos em um mirante no cume de um morro onde podíamos avistar toda a Serra do Mar, com uma cachoeira gigantesca de algumas centenas de metros bem ao centro e do outro lado víamos um desfiladeiro de muitos quilômetros que desembocava diretamente no mar.

Foi um dia espetacular, em poucas horas de passeio curtimos profundamente a natureza e nos separamos do stres de viver nas grandes cidades, além de estarmos entre amigos, compartilhamos momentos de solidariedade ajudando-nos mutuamente, tivemos espírito de equipe, harmonia com a natureza, consciência ecológica, e momento longe da poluição que nos atordoa todos os dias.

Programe-se e vá de encontro à natureza, será uma excelente terapia onde você esquecerá todas as tribulações do dia-dia e estará de frente com a criação divina. Nunca esquecendo preservar a natureza, pois assim você vai poder aproveitar muitas outras vezes desses momentos incríveis e deixar como legado para as próximas gerações.

AGRADECIMENTOS: Ayme e Nei Maldaner (www.inema.com); João Ernesto Aragones – Montanhista e piloto 4x4; Paulo Ricardo (Bacardi) e Marco Rolon - Rapel; Marcelo Ferraz – Fotos; Natureza e outros amigos participantes da aventura.